The Nun é REALMENTE baseado em uma história verdadeira?





Como todo filme em The Conjuring Universo A freira afirma ser baseado em uma história verdadeira. É este realmente o caso?



The Conjuring filmes que é vagamente inspirado no trabalho do 'demonologista' de Ed e Lorraine Warren. Eles usam as afirmações da vida real desse casal sobre o que vivenciaram como um vínculo com o tropo 'baseado em uma história real' ou 'baseado em eventos reais' (há muitas maneiras de expressar isso) que ajuda a adicionar uma profundidade de terror aos filmes de terror . O Exorcista foi o primeiro filme a usar esse tropo e a maioria dos filmes de terror encontra uma maneira de conectar seu conteúdo a uma anedota pessoal ou evento histórico. Os Warren também estavam ligados a outro livro e filme de terror clássico de grande sucesso - The Amityville Horror .



Curiosamente, o homem que escreveu o livro no qual toda a franquia se baseia entrou com uma ação judicial contra a controladora Warner Bros. no ano passado. O cerne da reclamação de 355 páginas de Gerald Brittle é que ele tinha uma cláusula de 'não trabalho concorrente' com Ed e Lorraine Warren quando escreveu o livro O demonologista: a carreira extraordinária de Ed e Lorraine Warren e a suposta 'violação de seus direitos autorais'. No entanto, outra parte de suas afirmações é mais pertinente à questão em questão.







Brittle diz que foi 'enganado' pela história dos Warren e não acredita mais que o que eles descreveram como seu trabalho em possessão demoníaca se baseia em fatos reais. 'Este é um padrão de engano que faz parte de um esquema que os Warren perpetuaram por anos,' ele escreveu . 'Não há fatos históricos sobre uma bruxa existindo na casa da fazenda Perron, uma bruxa se enforcando, possessão, adoração satânica ou sacrifício de crianças.'



A freira O demônio Valak foi introduzido pela primeira vez em The Conjuring 2 quando o personagem Lorraine descobre que o demônio a impediu de detectar a possessão. No que é suposto o fim da história de Valak, Lorraine bane Valak para o inferno. A freira é uma história de origem para este demônio popular.

Valak The Nun também fez participações especiais em 2017 Annabelle: Criação . Valak aparece em uma fotografia durante o filme e é visto caminhando por um corredor em uma cena de pós-crédito.








Até onde Valak está conectado, não parece estar diretamente conectado a um caso Warren. Valak é um personagem demoníaco conhecido em séculos de cultura. Um livro do século 17 chamado Chave Menor de Salomão menciona um Valak, ou Volak, ou Valu como o 'Espírito Sessenta e Dois'.

O ocultista da virada do século 20, Alistair Crowley, atualizou sua própria versão do livro e nela descreve Valak: 'Ele é um presidente poderoso e grande, e aparece como uma criança com asas de anjo, cavalgando um dragão de duas cabeças. Seu ofício é dar respostas verdadeiras aos tesouros escondidos e dizer onde as serpentes podem ser vistas. O que ele trará ao Exorcizador sem qualquer Força ou Força sendo por ele empregada. Ele governa 38 Legiões de Espíritos, e seu Selo é assim. '



Portanto, embora a história em si não seja baseada em fatos históricos, a tradição do demônio Valak tem uma história. Se você acredita em demonologia, então a ideia de Valak pode ser muito real.








A freira recebeu um burburinho inicial que aumenta seu fator assustador quando seu trailer foi supostamente 'banido' do YouTube. Na realidade, o trailer de The Nun nunca saiu do YouTube e ainda está disponível (assista abaixo). O que realmente aconteceu é um anúncio de clipe de teaser incluindo uma imagem perturbadora de The Nun aparecendo na frente de todos os tipos de vídeos que não têm nada a ver com terror . Foi muito perturbador, especialmente para as crianças, então, depois de muitas reclamações, o anúncio foi retirado. Isso levou muitos a acreditar que o próprio trailer foi 'banido'.







O diretor do filme, Corin Hardy, afirmou ter vivenciado possíveis 'fantasmas' no set de filmagem romeno durante A freira . Ele diz que viu alguns caras nas sombras enquanto eles estavam filmando. Depois de cerca de uma hora e meia, ele se virou para eles para perguntar o que pensavam e ninguém estava lá.

Ele diz que permanece cético sobre o que experimentou, mas parece gostar da ideia de encontrar 'alguns fantasmas romenos'.




Amelia Cunningham é redatora e editora do programa Parity